Aleatório

YouTuber escrevendo livros: Pode isso, Arnaldo?

Youtubers

Oi gente!

Hoje decidi escrever sobre um assunto que tem sido muito discutido ultimamente, e confesso que gosto muito desse assunto, então resolvi opinar também!

Como vocês já sabem, nos últimos meses uma grande quantidade de YouTubers vem lançando livros e mais livros sobre seus canais, sobre suas vidas e outros assuntos pessoais.
Aqui eu vou expôr a minha opinião sobre esse tipo de livro, e quero deixar claro que essa é a forma como EU penso, não tenho a menor intenção de impor nada para ninguém, ok? 🙂

Até hoje eu não li nenhum dos livros escritos por YouTubers, mas sei do que a maioria se trata.
Gostaria de começar falando sobre a Bruna Vieira

Bem, a Bruna é escritora, e os livros dela contam histórias sobre situações cotidianas, como por exemplo a série Depois dos Quinze, que conta a história de como é ser uma garota que acaba de passar dos 15 anos e precisa enfrentar os problemas que toda adolescente acaba enfrentando, até a sua fase adulta, contada no De Volta aos Quinze.
Posso estar enganada, mas não vejo seus livros como uma autobiografia, mas sim como histórias inspiradas por situações que ela viveu.

Agora falemos da Kéfera, uma das maiores YouTubers do país, com milhões de inscritos, que decidiu que seria uma boa ideia compartilhar sua história com seu público.
Não sei dizer se o livro foi escrito por ela ou por algum Ghost Writer, porém sei que a ideia é que os fãs saibam coisas que não são mostradas no seu canal, que conheçam melhor quem é a Kéfera e como ela chegou onde está hoje.

Livros similares ao da Kéfera (autobiografias) foram lançados por YouTubers como a Jout Jout (Jout Jout, prazer), a Lorena (Careca TV), o Japa (Japa TV), o Christian Figueiredo (Eu Fico Loko), o Felipe Neto, etc..

E agora eu pergunto: O que todos esses livros têm em comum? (Além de serem autobiografias)
Todos eles têm o mesmo público alvo, e eu acho isso incrível!
As pessoas que lêem há mais tempo e que, consequentemente, acabam se tornando mais exigentes com as leituras, e pegando livros mais desafiadores, talvez não se interessem por esses livros, podem considerá-los bobinhos demais, ou até “sem conteúdo algum”.
Ok, eu mesma não me interesso por esses livros, mas acho que deveríamos considerar o público que eles têm atingido.

Se pararmos para pensar que esses livros têm sido bestsellers de algumas editoras, que milhares e milhares de cópias foram vendidas nos últimos tempos, talvez começássemos a entender o impacto causado por essa febre toda.

Vamos pegar aquele adolescente, que só fica na frente do computador, somente vendo vídeos no YouTube e compartilhando conteúdo nas redes sociais… Esse adolescente pode ser muito fã da Kéfera, por exemplo.
E o que acontece quando a Kéfera lança um livro? Esse mesmo adolescente, sedento por conhecer mais sobre a vida da YouTuber, pega o livro dela para ler. E ele lê em poucos dias um livro de quase 200 páginas.

E se ele for fã de mais de um YouTuber que lançou algum livro, ele vai fazer a mesma coisa com esses outros livros.

Vocês conseguem entender o impacto que isso tem?

Esse pode ser o primeiro passo para formar mais um leitor, independentemente se o conteúdo acrescenta ou não valor à vida dele.
Se uma garota gostar muito da Bruna Vieira e começar a ler os livros lançados por ela, ela pode começar a se interessar pelos livros da Paula Pimenta, Kiera Cass e assim por diante.

Ou seja, por mais que digam que esses livros não agregam nada na vida das pessoas, eles podem agregar pelo simples fato de incentivarem a leitura, o que já é um benefício e tanto!

Então, para concluir a reflexão, acho que esses livros podem ser considerados como pontapé inicial para formar leitores cada vez mais jovens e, se assim for, que continuem fazendo mais e mais livros!

E vocês? Concordam comigo?
Me contem a opinião de vocês sobre esse assunto nos comentários!

Até mais!

NÃO SE ESQUEÇAM DE ME ACOMPANHAR NAS REDES SOCIAIS:
 FACEBOOK | TWITTER | INSTAGRAM | SNAPCHAT: NAIADEPINHEIRO
Anúncios

6 comentários em “YouTuber escrevendo livros: Pode isso, Arnaldo?

  1. Eu também acho que esses livros podem formar novos leitores, apesar de ouvir muita gente dizendo que o conteúdo e a escrita são de uma qualidade pra lá de duvidosa. Eu não sou fã de nenhum desse youtubers, mas agora que estão entrando em um espaço que tanto gosto, estou tentado a ler alguns desses livros na esperança de descobrir que não são tão ruins quanto dizem.
    Abraços.

    1. Oi Julio!
      Então.. eu sempre uso como comparação a trilogia Cinquenta Tons de Cinza. Muita gente fala mal desses livros, dizendo que são ruins e tudo mais, mas conheço muitas pessoas que começaram a gostar de ler depois de conhecer esses livros.
      Mesmo que o conteúdo não seja exatamente educativo, acho super válido que leiam e se motivem a ler cada vez mais! 🙂

      Muito obrigada pela visitinha! 🙂

  2. Qualquer livro pode formar um novo leitor. Acho isso maravilhoso, eu apenas não colocaria a Bruna no mesmo grupo. Percebi que ela sempre quis ser escritora e que foi amadurecendo quanto isso. Enquanto os outros são mais por questão de editora sugerir

    1. Oi Kamylla!
      Sim, concordo com você. A Bruna é diferente justamente por ter escrito de forma diferente.
      Ela conta histórias, não faz autobiografias e nada disso começou após a fama no YouTube.
      No post que fiz logo depois desse, com a resenha de “O Amor nos Tempos de #Likes” eu falei exatamente isso, os autores contaram histórias, e isso fez com que eu gostasse muito do livro.

      Obrigada pela visitinha! 🙂

  3. Me sinto mal por pessoas julgarem o livro da pessoa só pelo fato de ela ser Youtuber. Alguns estão simplesmente começando uma carreira como escritores, tais como Bruno Miranda, Pâm Gonçalves, Bel Rodrigues… Concordo com você a respeito de esses livros poderem trazer pessoas para o mundo da leitura (meu irmão começou a ler com Zack Power e diário de um banana), porém em alguns casos esperava mais. Acho que xingar esses livros, como se eles representassem tudo de ruim no mercado editorial não é o caminho, mas a maioria apresenta muitas histórias que já foram contadas em vídeo, o que só me deixa entristecida.
    De toda forma, Beijinhos!

    1. Oii!
      Eu concordo que existe muito preconceito por trás de tudo isso.
      Me surpreendi positivamente com o livro da Pâm com a Bel, o Pedro e o Hugo, esperava que fosse uma história chata e sem conteúdo nenhum, e não é bem assim…
      Mas confesso que quando alguém fala sobre livro de YouTuber, eu mesma já torço o nariz, acho que muito disso se deve ao que já ouvimos por aí, de Youtuber que contrata ghostwriter pra escrever o livro, e que nem se dá ao trabalho de ler o próprio livro, isso me deixou desanimada, porque me passou a impressão de que eles só estão criando mais um produto pra lojinha deles, e não se importam com o conteúdo.
      Mas para quem é fã da pessoa, isso vale muito, então por mim tudo bem!
      Como eu disse, acho que toda leitura é válida, e muitas vezes não gostamos de um livro não porque ele é ruim, mas talvez porque ele não foi escrito “para mim”, sabe? A faixa etária é errada, o público alvo não sou eu… temos que saber separar uma coisa da outra.

      Muuuito obrigada pela visitinha!
      Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s